Compre um livro da nossa coleção e receba gratuitamente um ticket-voucher para nos visitar!
TICKET-VOUCHER GIFTS LIVRARIA LELLO

1840

Nasce, em França, Ernesto Chardron.

Depois de viver os primeiros 18 anos de vida na sua terra natal – as Ardenas, na região de Champagne – Chardron rumou, em 1858, ao Porto.
Um dos seus tios tinha relações com Nicolau Moré, livreiro francês estabelecido na Invicta, e enviou o sobrinho ao amigo, que o empregou como caixeiro.
Em pouco tempo, Chardron dominava não só a língua portuguesa, como o mercado livreiro. 
1840

Nasce, em França, Ernesto Chardron.

Depois de viver os primeiros 18 anos de vida na sua terra natal – as Ardenas, na região de Champagne – Chardron rumou, em 1858, ao Porto.
Um dos seus tios tinha relações com Nicolau Moré, livreiro francês estabelecido na Invicta, e enviou o sobrinho ao amigo, que o empregou como caixeiro.
Em pouco tempo, Chardron dominava não só a língua portuguesa, como o mercado livreiro. 
1840

1846

É inaugurado, no Porto, o Teatro Circo, antecessor do Teatro Sá da Bandeira.

1846

É inaugurado, no Porto, o Teatro Circo, antecessor do Teatro Sá da Bandeira.

1862

A Livraria Moré publica a primeira edição de Amor de Perdição, de Camilo Castelo Branco.

A Livraria Moré edita, em 1862, o maior êxito do escritor Camilo Castelo Branco. Desde então, a relação do autor com Chardron estreitar-se-ia de tal forma que este viria, anos mais tarde, a ser seu editor único. 

1862

A Livraria Moré publica a primeira edição de Amor de Perdição, de Camilo Castelo Branco.

A Livraria Moré edita, em 1862, o maior êxito do escritor Camilo Castelo Branco. Desde então, a relação do autor com Chardron estreitar-se-ia de tal forma que este viria, anos mais tarde, a ser seu editor único. 

1867

O Teatro Circo é demolido para que seja construído o Teatro do Príncipe Real.

1867

O Teatro Circo é demolido para que seja construído o Teatro do Príncipe Real.

1869

Ernesto Chardron abre, no Porto, a Livraria Internacional de Ernesto Chardron, depois de ganhar a Lotaria.

Um golpe de sorte muda a vida de Chardron.

O livreiro ganha o grande prémio da lotaria e usa o valor – 8 ou 10 contos de réis, segundo relata Ramalho Ortigão no volume III d’As Farpas – para se estabelecer por conta própria, fundando, em 1869, a Livraria Internacional de Ernesto Chardron, na Rua dos Clérigos. Para além de livreiro, torna-se também editor, com um arrojo e coragem pouco vulgares em Portugal. Num período relativamente curto, edita um grande número de livros dos melhores escritores portugueses e franceses. O seu catálogo, hoje pertencente ao espólio da Livraria Lello, tinha mais de 600 páginas!

1869

Ernesto Chardron abre, no Porto, a Livraria Internacional de Ernesto Chardron, depois de ganhar a Lotaria.

Um golpe de sorte muda a vida de Chardron.

O livreiro ganha o grande prémio da lotaria e usa o valor – 8 ou 10 contos de réis, segundo relata Ramalho Ortigão no volume III d’As Farpas – para se estabelecer por conta própria, fundando, em 1869, a Livraria Internacional de Ernesto Chardron, na Rua dos Clérigos. Para além de livreiro, torna-se também editor, com um arrojo e coragem pouco vulgares em Portugal. Num período relativamente curto, edita um grande número de livros dos melhores escritores portugueses e franceses. O seu catálogo, hoje pertencente ao espólio da Livraria Lello, tinha mais de 600 páginas!

1881

José Pinto de Sousa Lello abre a sua primeira livraria.

José Pinto de Sousa Lello, homem de cultura, amante dos livros e da música, sonhava tornar-se livreiro e, em 1881, saiu da pequena vila de Santa Marta de Penaguião, na Região do Douro, para concretizar esse sonho.

Abriu, então, a sua primeira livraria, na Rua do Almada, no Porto, desconhecendo que o edifício que levaria o seu nome até ao próximo milénio se encontrava a poucos quarteirões.

1881

José Pinto de Sousa Lello abre a sua primeira livraria.

José Pinto de Sousa Lello, homem de cultura, amante dos livros e da música, sonhava tornar-se livreiro e, em 1881, saiu da pequena vila de Santa Marta de Penaguião, na Região do Douro, para concretizar esse sonho.

Abriu, então, a sua primeira livraria, na Rua do Almada, no Porto, desconhecendo que o edifício que levaria o seu nome até ao próximo milénio se encontrava a poucos quarteirões.

1885

Chardron morre, aos 45 anos...

...e a Livraria Internacional de Ernesto Chardron é adquirida pela sociedade de Lugan e Genelioux.
1885

Chardron morre, aos 45 anos...

...e a Livraria Internacional de Ernesto Chardron é adquirida pela sociedade de Lugan e Genelioux.

1888

A Livraria Internacional de Ernesto Chardron publica a primeira edição d’Os Maias de Eça de Queirós.

A correspondência entre Eça de Queiroz e Chardron, que preservamos no espólio da Livraria Lello, mostra que Os Maias tinha sido planeado para ser uma novela com 180 a 200 páginas. A verdade é que a obra se foi adensando, ao longo de uma década, e acabou com 925 páginas e publicada, na sua edição original, em dois volumes. 

1888

A Livraria Internacional de Ernesto Chardron publica a primeira edição d’Os Maias de Eça de Queirós.

A correspondência entre Eça de Queiroz e Chardron, que preservamos no espólio da Livraria Lello, mostra que Os Maias tinha sido planeado para ser uma novela com 180 a 200 páginas. A verdade é que a obra se foi adensando, ao longo de uma década, e acabou com 925 páginas e publicada, na sua edição original, em dois volumes. 

1894

José Pinto de Sousa Lello compra a Livraria Internacional de Ernesto Chardron e todo o seu espólio.

José Pinto de Sousa Lello, já em sociedade com o irmão António Lello, fica com os direitos de edição de todos os autores ligados a Chardron. Para além deste valioso catálogo, em 1898, os irmãos Lello compram ainda o fundo editorial da Livraria Lemos & Cª.

1894

José Pinto de Sousa Lello compra a Livraria Internacional de Ernesto Chardron e todo o seu espólio.

José Pinto de Sousa Lello, já em sociedade com o irmão António Lello, fica com os direitos de edição de todos os autores ligados a Chardron. Para além deste valioso catálogo, em 1898, os irmãos Lello compram ainda o fundo editorial da Livraria Lemos & Cª.

1896

AURÉLIO PAZ DOS REIS EXIBE NO TEATRO DO PRÍNCIPE REAL (ATUAL TEATRO SÁ DA BANDEIRA) OS PRIMEIROS FILMES REALIZADOS POR UM PORTUGUÊS.

Aurélio Paz dos Reis
1896

AURÉLIO PAZ DOS REIS EXIBE NO TEATRO DO PRÍNCIPE REAL (ATUAL TEATRO SÁ DA BANDEIRA) OS PRIMEIROS FILMES REALIZADOS POR UM PORTUGUÊS.

Aurélio Paz dos Reis

1906

É inaugurado, pelos irmãos Lello, a 13 de janeiro, no número 144 da Rua das Carmelitas, o atual edifício da Livraria Lello, projetado por Francisco Xavier Esteves.

A inauguração decorre num ambiente repleto de figuras de relevo...

A inauguração decorre num ambiente repleto de figuras de relevo, entre os quais o escritor Guerra Junqueiro, o diretor de O Comércio, Bento Carqueja, o escritor Júlio Brandão e Aurélio Paz dos Reis, precursor do cinema em Portugal.

1906

É inaugurado, pelos irmãos Lello, a 13 de janeiro, no número 144 da Rua das Carmelitas, o atual edifício da Livraria Lello, projetado por Francisco Xavier Esteves.

A inauguração decorre num ambiente repleto de figuras de relevo...

A inauguração decorre num ambiente repleto de figuras de relevo, entre os quais o escritor Guerra Junqueiro, o diretor de O Comércio, Bento Carqueja, o escritor Júlio Brandão e Aurélio Paz dos Reis, precursor do cinema em Portugal.

1910

Após a Implantação da República, o Teatro do Príncipe Real passa a chamar-se Teatro Sá da Bandeira.

1910

Após a Implantação da República, o Teatro do Príncipe Real passa a chamar-se Teatro Sá da Bandeira.

1935

A designação social do estabelecimento da Livraria Lello é alterada para Livraria Lello & Irmão, Lda.

Depois de um período de transição em que vigora a designação Livraria Chardron de Lello & Irmão...

A designação social do estabelecimento da Livraria Lello é alterada para Livraria Lello & Irmão, Lda. 

Depois de um período de transição em que vigora a designação Livraria Chardron de Lello & Irmão, o nome Livraria Lello & Irmão começa a ganhar autonomia e, em 1935, passa oficialmente a designar a Livraria e Editora. No entanto, na fachada da Livraria Lello continua a figurar, até aos dias de hoje, o nome de Chardron, em homenagem ao grande responsável pelo seu destacado espólio.

1935

A designação social do estabelecimento da Livraria Lello é alterada para Livraria Lello & Irmão, Lda.

Depois de um período de transição em que vigora a designação Livraria Chardron de Lello & Irmão...

A designação social do estabelecimento da Livraria Lello é alterada para Livraria Lello & Irmão, Lda. 

Depois de um período de transição em que vigora a designação Livraria Chardron de Lello & Irmão, o nome Livraria Lello & Irmão começa a ganhar autonomia e, em 1935, passa oficialmente a designar a Livraria e Editora. No entanto, na fachada da Livraria Lello continua a figurar, até aos dias de hoje, o nome de Chardron, em homenagem ao grande responsável pelo seu destacado espólio.

1920-1950

A Livraria Lello é, neste período, uma das principais responsáveis pela exportação e importação de literatura, em Portugal. 

Pela primeira vez, edita toda a obra de Shakespeare...

A Livraria Lello é, neste período, uma das principais responsáveis pela exportação e importação de literatura, em Portugal. 

Pela primeira vez, edita toda a obra de Shakespeare traduzida para português, para além de outros autores mundiais como Alexandre Dumas, Gustave Flaubert, Miguel de Cervantes, Victor Hugo e Charles Darwin.

Estabelece-se uma forte ligação comercial e institucional com os mercados brasileiro e africano.

1920-1950

A Livraria Lello é, neste período, uma das principais responsáveis pela exportação e importação de literatura, em Portugal. 

Pela primeira vez, edita toda a obra de Shakespeare...

A Livraria Lello é, neste período, uma das principais responsáveis pela exportação e importação de literatura, em Portugal. 

Pela primeira vez, edita toda a obra de Shakespeare traduzida para português, para além de outros autores mundiais como Alexandre Dumas, Gustave Flaubert, Miguel de Cervantes, Victor Hugo e Charles Darwin.

Estabelece-se uma forte ligação comercial e institucional com os mercados brasileiro e africano.

1993

Realização das primeiras obras de restauro e conservação na Livraria Lello.

Nesta altura, a emblemática escadaria, até então castanha...

Realização das primeiras obras de restauro e conservação na Livraria Lello.

Nesta altura, a emblemática escadaria, até então castanha, passou, por erro de empreitada, a ser vermelha. Imediatamente antes de ser desfeito o engano, o Mestre Escultor José Rodrigues viu a escadaria com a nova cor e ficou encantado. 

1993

Realização das primeiras obras de restauro e conservação na Livraria Lello.

Nesta altura, a emblemática escadaria, até então castanha...

Realização das primeiras obras de restauro e conservação na Livraria Lello.

Nesta altura, a emblemática escadaria, até então castanha, passou, por erro de empreitada, a ser vermelha. Imediatamente antes de ser desfeito o engano, o Mestre Escultor José Rodrigues viu a escadaria com a nova cor e ficou encantado. 

2006

A Livraria Lello é referida pela primeira vez como “a Livraria Mais Bonita do Mundo”, pelo escritor espanhol Enrique Vila-Matas, num artigo publicado no El País.

Em 2008, o jornal The Guardian considera-a uma das mais belas do mundo...

A Livraria Lello é referida pela primeira vez como “a Livraria Mais Bonita do Mundo”, pelo escritor espanhol Enrique Vila-Matas, num artigo publicado no El País.

Em 2008, o jornal The Guardian considera-a uma das mais belas do mundo. Em 2011, a editora de guias de viagens Lonely Planet refere também que está entre as melhores livrarias do mundo, “uma pérola de arte nova”.

Já em 2015, a revista Time coloca-a entre as livrarias mais interessantes do mundo, salientando o seu valor histórico e artístico, e a CNN volta a considerá-la a mais bela do mundo. Em 2016, é a vez da National Geographic considerar a Livraria Lello uma das mais bonitas do planeta. Hoje em dia, a Livraria Lello figura em todas as referências às livrarias mais icónicas do mundo. 

2006

A Livraria Lello é referida pela primeira vez como “a Livraria Mais Bonita do Mundo”, pelo escritor espanhol Enrique Vila-Matas, num artigo publicado no El País.

Em 2008, o jornal The Guardian considera-a uma das mais belas do mundo...

A Livraria Lello é referida pela primeira vez como “a Livraria Mais Bonita do Mundo”, pelo escritor espanhol Enrique Vila-Matas, num artigo publicado no El País.

Em 2008, o jornal The Guardian considera-a uma das mais belas do mundo. Em 2011, a editora de guias de viagens Lonely Planet refere também que está entre as melhores livrarias do mundo, “uma pérola de arte nova”.

Já em 2015, a revista Time coloca-a entre as livrarias mais interessantes do mundo, salientando o seu valor histórico e artístico, e a CNN volta a considerá-la a mais bela do mundo. Em 2016, é a vez da National Geographic considerar a Livraria Lello uma das mais bonitas do planeta. Hoje em dia, a Livraria Lello figura em todas as referências às livrarias mais icónicas do mundo. 

2013

A Livraria Lello é classificada como Monumento de Interesse Público pela Direção Geral do Património Cultural.

2013

A Livraria Lello é classificada como Monumento de Interesse Público pela Direção Geral do Património Cultural.

2015

Início da “segunda vida” da Livraria Lello, impulsionado pela aquisição de 51% do seu capital social pela família Pedro Pinto.

É definida como Missão a luta pela preservação do Livro e a ambição de pôr o mundo inteiro a ler.
2015

Início da “segunda vida” da Livraria Lello, impulsionado pela aquisição de 51% do seu capital social pela família Pedro Pinto.

É definida como Missão a luta pela preservação do Livro e a ambição de pôr o mundo inteiro a ler.

2015

Um inovador sistema do voucher é introduzido na Livraria Lello.

Para ajudar a transformar visitantes em leitores, é criado um sistema de voucher.
A entrada passa a ter um custo, totalmente dedutível na compra de livros. Desde então, a venda de livros disparou, abrindo o caminho para a missão proposta: pôr o mundo inteiro a ler e dar a conhecer a literatura nacional a leitores vindos dos quatro cantos do mundo.
2015

Um inovador sistema do voucher é introduzido na Livraria Lello.

Para ajudar a transformar visitantes em leitores, é criado um sistema de voucher.
A entrada passa a ter um custo, totalmente dedutível na compra de livros. Desde então, a venda de livros disparou, abrindo o caminho para a missão proposta: pôr o mundo inteiro a ler e dar a conhecer a literatura nacional a leitores vindos dos quatro cantos do mundo.
2015

2016

Abre nos Armazéns do Castelo um espaço de apoio à atividade da Livraria Lello.

O voucher para entrada na Livraria passa a ser vendido nos Armazéns do Castelo. Com um local onde podem ser guardados carrinhos de bebé, malas de viagem, ou outros objetos volumosos, este novo espaço permite tornar mais confortável a experiência de visita à Livraria Lello, numa altura em que atrai cada vez mais visitantes e leitores.
2016

Abre nos Armazéns do Castelo um espaço de apoio à atividade da Livraria Lello.

O voucher para entrada na Livraria passa a ser vendido nos Armazéns do Castelo. Com um local onde podem ser guardados carrinhos de bebé, malas de viagem, ou outros objetos volumosos, este novo espaço permite tornar mais confortável a experiência de visita à Livraria Lello, numa altura em que atrai cada vez mais visitantes e leitores.

2018

Termina um conjunto de profundas obras de restauro e conservação

que devolve ao mundo o edifício da Livraria Lello com o esplendor de 1906, abrindo ao público toda a área da Livraria Lello, parte dela até então “invisível” por apenas se dedicar a tarefas administrativas.

Em resultado de um investimento superior a 2 milhões de euros, a fachada é restaurada nas suas cores originais, o célebre vitral é, pela primeira vez, limpo e restaurado, e toda a estrutura do edifício passa por profundas remodelações, com o objetivo de repor a sua beleza, tal como era em 1906.

2018

Termina um conjunto de profundas obras de restauro e conservação

que devolve ao mundo o edifício da Livraria Lello com o esplendor de 1906, abrindo ao público toda a área da Livraria Lello, parte dela até então “invisível” por apenas se dedicar a tarefas administrativas.

Em resultado de um investimento superior a 2 milhões de euros, a fachada é restaurada nas suas cores originais, o célebre vitral é, pela primeira vez, limpo e restaurado, e toda a estrutura do edifício passa por profundas remodelações, com o objetivo de repor a sua beleza, tal como era em 1906.

2018

Livraria Lello retoma a atividade editorial e lança uma coleção de clássicos: The Collection.

A Livraria Lello começa a publicar edições exclusivas de alguns dos maiores clássicos da literatura universal.

A The Collection é composta por livros de bolso, com um design encantador e prefácios surpreendentes de figuras de destaque na atualidade

2018

Livraria Lello retoma a atividade editorial e lança uma coleção de clássicos: The Collection.

A Livraria Lello começa a publicar edições exclusivas de alguns dos maiores clássicos da literatura universal.

A The Collection é composta por livros de bolso, com um design encantador e prefácios surpreendentes de figuras de destaque na atualidade

descobrir

2018

A Livraria Lello adquire o edifício 148, da Rua das Carmelitas, situado imediatamente ao lado da Livraria, com o objetivo de o dedicar, no futuro próximo, à cultura.

2018

A Livraria Lello adquire o edifício 148, da Rua das Carmelitas, situado imediatamente ao lado da Livraria, com o objetivo de o dedicar, no futuro próximo, à cultura.

2019

É criado o Prémio Livraria Lello – Eduardo Lourenço.

A Livraria Lello cria um dos maiores prémios culturais privados da Europa que, a cada dois anos, homenageia personalidades vivas das letras, das ciências e do pensamento.

Na primeira edição, distinguiu o maior pensador português da atualidade, o Professor Eduardo Lourenço (23 de maio de 1923 – 1 de dezembro de 2020), e eternizou esta homenagem ao batizar o galardão com o seu nome.

2019

É criado o Prémio Livraria Lello – Eduardo Lourenço.

A Livraria Lello cria um dos maiores prémios culturais privados da Europa que, a cada dois anos, homenageia personalidades vivas das letras, das ciências e do pensamento.

Na primeira edição, distinguiu o maior pensador português da atualidade, o Professor Eduardo Lourenço (23 de maio de 1923 – 1 de dezembro de 2020), e eternizou esta homenagem ao batizar o galardão com o seu nome.

2019

2019

Livraria Lello lança a primeira OPA do mundo a livros.

A Livraria Lello assume como missão a valorização do livro enquanto objeto de investimento.

A Livraria Lello assume como missão a valorização do livro enquanto objeto de investimento. Numa atitude absolutamente inovadora lança uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre as primeiras edições de Os Lusíadas, Harry Potter and The Philosopher’s Stone e da Gazeta da Restauração, o primeiro periódico português.As duas últimas obras são adquiridas, continuando a Livraria Lello à procura da primeira para a juntar ao tesouro que é o seu espólio.

2019

Livraria Lello lança a primeira OPA do mundo a livros.

A Livraria Lello assume como missão a valorização do livro enquanto objeto de investimento.

A Livraria Lello assume como missão a valorização do livro enquanto objeto de investimento. Numa atitude absolutamente inovadora lança uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre as primeiras edições de Os Lusíadas, Harry Potter and The Philosopher’s Stone e da Gazeta da Restauração, o primeiro periódico português.As duas últimas obras são adquiridas, continuando a Livraria Lello à procura da primeira para a juntar ao tesouro que é o seu espólio.

2019

Livraria Lello compra em hasta pública o Teatro Sá da Bandeira.

A Livraria Lello investe 3,5 milhões de euros na compra do Teatro mais antigo da cidade do Porto, em hasta pública promovida pelo Município que o havia adquirido em 2017.

As duas instituições, ambas monumentos protegidos e classificados, históricos na cidade e no país, unem-se com a missão de valorizar a cultura e o património.

2019

Livraria Lello compra em hasta pública o Teatro Sá da Bandeira.

A Livraria Lello investe 3,5 milhões de euros na compra do Teatro mais antigo da cidade do Porto, em hasta pública promovida pelo Município que o havia adquirido em 2017.

As duas instituições, ambas monumentos protegidos e classificados, históricos na cidade e no país, unem-se com a missão de valorizar a cultura e o património.

2020

Abertura do primeiro Drive-Thru Livreiro do mundo.

De portas fechadas devido à pandemia da Covid-19, a Livraria Lello quis continuar a sua missão de pôr o mundo inteiro a ler.

De portas fechadas devido à pandemia da Covid-19, a Livraria Lello quis continuar a sua missão de pôr o mundo inteiro a ler e, considerando o livro um bem de primeira necessidade, ofereceu um exemplar por dia, em sistema drive-thru. Durante todo o mês de abril foram oferecidos mais de 10 mil livros.

2020

Abertura do primeiro Drive-Thru Livreiro do mundo.

De portas fechadas devido à pandemia da Covid-19, a Livraria Lello quis continuar a sua missão de pôr o mundo inteiro a ler.

De portas fechadas devido à pandemia da Covid-19, a Livraria Lello quis continuar a sua missão de pôr o mundo inteiro a ler e, considerando o livro um bem de primeira necessidade, ofereceu um exemplar por dia, em sistema drive-thru. Durante todo o mês de abril foram oferecidos mais de 10 mil livros.

2020

2020

Livraria Lello promove concurso literário mais participado de sempre.

Durante o primeiro confinamento decorrente da pandemia da Covid-19, a Livraria Lello promoveu a libertação através da escrita, com um concurso na área do conto.

Foi um dos mais participados de sempre em todo o mundo: recebeu mais de 5600 candidaturas, provenientes de 39 países. Foram selecionados os seis vencedores que, além do prémio pecuniário, viram a sua criação editada pela Livraria Lello em obra coletiva.

2020

Livraria Lello promove concurso literário mais participado de sempre.

Durante o primeiro confinamento decorrente da pandemia da Covid-19, a Livraria Lello promoveu a libertação através da escrita, com um concurso na área do conto.

Foi um dos mais participados de sempre em todo o mundo: recebeu mais de 5600 candidaturas, provenientes de 39 países. Foram selecionados os seis vencedores que, além do prémio pecuniário, viram a sua criação editada pela Livraria Lello em obra coletiva.

2021

O arquiteto português e prémio Pritzker Álvaro Siza Vieira aceita ser o autor do projeto para o edifício 148, contíguo à Livraria Lello, e que será mais um espaço de cultura.

2021

O arquiteto português e prémio Pritzker Álvaro Siza Vieira aceita ser o autor do projeto para o edifício 148, contíguo à Livraria Lello, e que será mais um espaço de cultura.

2021

Aquisição do espólio da Coimbra Editora.

Em defesa do património livreiro, a Livraria Lello adquiriu o acervo da Coimbra Editora e da gráfica da Coimbra Editora, com o objetivo de valorizar o Livro e perpetuar as memórias de uma das mais icónicas editoras do país.
2021

Aquisição do espólio da Coimbra Editora.

Em defesa do património livreiro, a Livraria Lello adquiriu o acervo da Coimbra Editora e da gráfica da Coimbra Editora, com o objetivo de valorizar o Livro e perpetuar as memórias de uma das mais icónicas editoras do país.